Dente do Siso

Porque se denominam dentes do siso ?

O dente de siso aparece geralmente entre os 16 e 20 anos de idade. Coincidem com a maturidade física da pessoa. Teoricamente a pessoa deveria ser ajuizada e, por isso, denominam-se na gíria por "dentes do juízo". São os últimos dentes a nascer.

Quantos dentes de siso existem nas arcadas dentárias ?

As pessoas têm geralmente quatro dentes do siso, dois no maxilar superior e dois no maxilar inferior. São os últimos dentes de cada arcada e denominam-se de terceiro molar.

Todas as pessoas têm dentes do siso ?

Nem todas as pessoas têm dentes do siso. Eles são considerados pelos especialistas de dentes em extinção. As novas gerações nascem cada vez mais sem a informação genética deste dente. Pensa-se que é devido ao facto de a alimentação ser cada vez mais mole e por isso não precisa de grande esforço de mastigação. Pode ser devido também à tendência natural da evolução da espécie.

O que são sisos inclusos ?

dente siso incluso
São dentes de siso que não erupcionaram. Como são os últimos a nascer, os outros 28 dentes já ocuparam todo o espaço disponível na arcada dentária e estes, sem espaço, ficam submersos na gengiva.

Em que casos se deve extrair um dente do siso ?

  • Se o dente estiver muito danificado ou causar dor deve ser extraído. A desvitalização não é muito indicada.
  • A sua posição correta na arcada dentária é muito importante. Se estiverem virados para a bochecha ou seja, posicionados de forma incorreta podem causar maceração permanente e dor.
  • Se o dente do siso não provocar dor mas estiver a provocar cárie no dente adjacente deve ser extraído.
  • Quando existem quistos ou tumores associados ao dente do siso o melhor diagnóstico é extrair.
  • Nos tratamentos de ortodontia, a extração de um siso é por vezes a solução ideal para criar espaço na arcada e facilitar o movimento de outros dentes com o objetivo de corrigir a sua posição.

As pessoas imaginam que se os dentes do siso inclusos não causam dor não se devem preocupar com eles. Não é bem assim. Eles devem ser vigiados por um cirurgião maxilo-facial que irá avaliar a sua existência ou eventuais doenças e a qualidade dos tecidos que os envolvem. Estes dentes requerem especial atenção, controles anuais e radiografias. A maioria dos dentistas é unanime em concordar que se o dente do siso incluso não provoca dor e estiver num ambiente saudável, gengivas sãs , sem danificar outros dentes, não deve ser extraído.

Existem contra indicações para a extração de sisos ?

  • Com a idade a cicatrização e recuperação da cirurgia são mais difíceis porque a raiz do dente também é maior.
  • Quando existem infeções ou abcessos, estes devem ser previamente tratados.
  • Por vezes o dente do siso posiciona-se junto ao nervo dentário inferior e a sua extração poderá danificar a estrutura adjacente. Neste caso a opção ideal será optar pela vigilância e só em ultimo caso a sua extração.

Como se processa a cirurgia de dente do siso ?

Se o dentista aconselhar a extração, o paciente é encaminhado para uma consulta com um especialista em cirurgia maxilo-facial. Este especialista fará perguntas sobre eventuais medicamentos que possa estar a tomar e doenças sistémicas.
A extração é feita no consultório e sob anestesia local. O procedimento é indolor. A dificuldade do ato reside no fato de como o dente está posicionado na gengiva e o tamanho das suas raízes. Em pacientes mais jovens é mais fácil a cirurgia.

Que cuidados devo ter após a extração ?

Depois da cirurgia pode sentir algum desconforto ainda que ligeiro. A face, no sítio da cirurgia pode inchar por isso deve aplicar gelo envolto em um tecido macio. Deverá tomar a medicação, geralmente antibiótico em extrações mais complicadas de siso semi inclusos e inclusos. Afinal trata-se de uma cirurgia. Poderá ter que adaptar a alimentação para o próprio dia ou dia seguinte para alimentos moles e frios.

Muitas pessoas têm dentes do siso inclusos durante anos e anos e desconhecem. Nascem, não erupcionam e ficam submersos pela gengiva. Como este dente não está visível à vista , se não provocar dor nem incomodar, a pessoa não o sente e não sabe da sua existência.

Somos confrontados muitas vezes com a surpresa do próprio na altura em que descobre que tem um siso incluso no maxilar. Esta descoberta é possível devido ao auxílio e análise da ortopantomografia ou radiografia dos maxilares.