Menu

Implantes dentários all-on-six

O all on 6 consiste em fixar todos os dentes de uma só arcada dentária. É indicado para pessoas sem nenhum dente no maxilar. Embora este tratamento seja muito semelhante ao all on 4 e com resultados parecidos, ou seja, restituir peças dentárias funcionais e esteticamente bonitas a desdentados totais, existem diferenças muito importantes a referir.
O dentista recomenda uma ou outra técnica dependendo da necessidade da reabilitação de cada caso. Não é muito adequado ser o paciente a escolher o protocolo. Cabe ao dentista aconselhar entre os dois, a melhor solução. E porquê? Porque têm indicações totalmente diferentes.

Seis implantes e todos os dentes

A técnica all on 6 consiste em proporcionar ao paciente que sofre de perda total dos seus dentes em uma arcada dentária, seja superior ou inferior, uma prótese fixa.

Principais semelhanças entre o "All-on-6" e o "All-on-4"

Ambos requerem uma intervenção cirúrgica para inserir os parafusos no osso maxilar. O tempo de duração da cirurgia varia de duas a quatro horas dependendo da complexidade do caso. Ambos os procedimentos podem ser concluídos em um dia, caso exista a opção de carga imediata. Nas duas técnicas usa-se a anestesia local ou sedação consciente para pacientes mais ansiosos.
À arcada dentária fixam-se próteses híbridas compostas de cerâmica ou acrílico. Ou seja, seja em 4, 5 ou 6 implantes, os novos dentes são fixos. Este procedimento elimina a necessidade de um único implante por cada dente ausente. Uma barra interna vai suportar todos os dentes artificiais. Essa barra é fixa tanto em 6 como em 4 ou 5 parafusos de metal.
As técnicas têm sempre como objetivo principal, reabilitar um desdentado, oferecendo-lhe uma opção comoda, bonita e funcional, com semelhanças muito idênticas às peças dentárias ausentes.

Principais indicações e diferenças de cada técnica

  1. O número: A diferença mais evidente é o número de parafusos de titânio. Alguns dentistas acreditam que mais implantes significa uma melhor fixação. Outros discordam totalmente e preferem usar a técnica do All on 4. Ambas as técnicas são válidas e adaptam-se a diferentes soluções.
  2. O preço mais baixo: O preço do “todos em 6” é um pouco mais elevado do que o “todos em 4” ou “todos em 5”. Isto porque, como é evidente, o número é maior. O custo é sempre calculado em função de cada um. Por outro lado, em comparação com a colocação individual de implante por dente, nas técnicas atrás referidas, o custo é sempre muito menor.
  3. Falta de osso: O tratamento com 4, é principalmente indicado a pessoas com défice de estrutura óssea. O recurso a este procedimento evita o enxerto ou a elevação do seio.

Ambos os procedimentos são excelentes opções para devolver dentes a desdentados totais. Através destas técnicas, o paciente reabilita o sorriso tendo em conta a estabilidade, a estética e a função da mastigação. O tratamento fixo permite-lhe uma reconstrução dentária permanente com resultados seguros.

Pergunte ao dentista qual o procedimento mais indicado para si. Converse e faça as perguntas que entender, sobre o tempo, a duração, o preço, a recuperação. Tenha em atenção que compete ao profissional de saúde, a escolha da opção que melhor se adapta ao seu problema.

Última atualização: