Menu

A Saúde Oral e a Gravidez

Saúde oral e gravidez
Quando uma mulher engravida, de uma forma geral, fica muito atenta a informação sobre a saúde oral. Esta preocupação surge naturalmente porque quer melhorar não só a saúde da sua boca, mas principalmente a do seu futuro bebé.

As principais preocupações incidem sobre a higiene oral, os cuidados redobrados durante a gestação em relação à alimentação e à higiene dos dentes, assim como a procura de profissionais de saúde tendo em vista a prevenção da doença cárie.


Segundo um estudo conduzido pela professora norte americana Stefanie Russell publicado no site "American Journal of public Health", as mulheres que deram à luz mais filhos têm mais probabilidades de vir a sofrer de perda dentária.

Que efeitos a gravidez pode ter na saúde oral ?

São necessárias mais pesquisas para confirmar que e como a doença gengival afecta a gravidez mas, aparentemente, a doença gengival desencadeia o aumento dos níveis e fluídos biológicos que induzem o parto. Outros dados também sugerem que quando a doença gengival se agrava durante a gravidez, existe um maior risco de nascer um bebé prematuro.

Durante a gravidez, os dentes necessitam de uma atenção especial. Fazer uma dieta equilibrada e visitar regularmente o seu dentista irá ajudar a reduzir os problemas dentários que acompanham a gravidez.

O conceito amplamente difundido que durante a formação dos ossos do bebé é retirado o cálcio dos dentes da mãe está profundamente errado. Algumas lesões de cárie que surgem durante e após a gravidez estão relacionadas com lesões de cárie que não foram detetadas e tratadas anteriormente, a alterações hormonais que podem induzir alterações do metabolismo e da ação da saliva sobre a boca e dentes.

Durante a gravidez que problemas orais podem surgir?

Estudos mostram que muitas grávidas apresentam gengivite gravídica - quando a placa bacteriana se acumula nos dentes e inflama as gengivas. Os sintomas incluem gengivas avermelhadas, inflamadas com hemorragia.

A gengivite gravídica ocorre com mais frequência devido ao aumento do nível de hormonas que potenciam a forma como as gengivas reagem a produtos inflamatórios da placa bacteriana. Contudo, é a placa bacteriana e não as hormonas a principal causa da gengivite.

Manter os seus dentes limpos, sobretudo junto à linha gengival, ajuda a reduzir drasticamente a gengivite durante a gravidez.

A visita ao dentista durante a gravidez?

É fundamental alertar o seu técnico de saúde oral que está grávida. Mesmo em situações de aparente normalidade é aconselhável marcar uma consulta no dentista entre o quarto e o sexto mês de gravidez. Os três primeiros meses são muito importantes para o desenvolvimento do bebé. Durante o último trimestre, o stress associado às visitas ao dentista podem aumentar a incidência de complicações pré-natais.
Se necessitar de uma consulta de urgência, alerte-nos antecipadamente que está grávida, assim, conseguimos reunir especialistas e equipamentos mais direcionados. Descreva o stress, complicações anteriores ou medicamentos que esteja a tomar, são fatores fundamentais que influenciam a forma como o seu dentista irá proceder. Em alguns casos o técnico de saúde oral poderá ter a necessidade de falar com o seu obstetra antes de iniciar os tratamentos dentários.

Principais cuidados orais durante a gravidez

  1. Higiene oral cuidadosa - Uma higiene adequada ajuda na prevenção de doenças orais nomeadamente o risco da cárie e das doenças das gengivas tal como a gengivite e periodontite. Por isso, a grávida deverá ser instruída a escovar os dentes diariamente e após as refeições. O uso de fio dentário deverá ser obrigatoriamente incluído nos hábitos de higiene.
  2. Controlo periódico no dentista - A destartarização para remoção da placa bacteriana ajuda na prevenção de eventuais doenças orais durante a gravidez. O exame clínico da cavidade oral identifica possíveis focos infeciosos e a necessidade ou não de restaurações dentárias.

Implantes Dentários

Embora alguns tratamentos sejam aconselháveis, os tratamentos mais complicados são de evitar durante este período. No caso dos implantes dentários, o ideal é após o nascimento da criança, altura em que a disponibilidade psíquica e temporal é maior.